Construído entre os anos de 1915 e 1925, sendo totalmente revitalizado em 2018, o prédio, que possui fachada e decoração interior inspiradas nos palacetes franceses do fim do século XVIII, segue uma linha muito utilizada na década de 20 pela capital paulista em pequenos edifícios. No andar térreo, o destaque fica por conta do elevador todo em ferro e dourado, funcionando desde a época em que foi inaugurado. O edifício tem estilo arquitetônico, eclético com muitas características “art nouveau” e elementos neo renascentistas. Em 1958, a sociedade do Clube Campineiro une-se outra vez ao Jockey Club de Campinas, formando nova sociedade com a denominação de “Jockey Club Campineiro”. O visitante pode aproveitar a Praça Antônio Pompeu, que abriga o túmulo do compositor campineiro Carlos Gomes, além do Monumento Bento Quirino e a Igreja Nossa Senhora do Carmo, conhecendo, assim, o marco zero da cidade. O edifício do Jockey Club Campineiro foi tombado pelo Condepacc (Conselho de Defesa do Patrimônio Cultural de Campinas) em 1994.

Atualmente, funciona no salão social uma casa noturna com programação de música eletrônica às sextas-feiras e aos sábados, além de vésperas de feriado. O prédio também é palco de apresentações na época do natal. Linhas de ônibus acessíveis ao Jockey Club: 240, 244, 260, 330, 332, 333, 339, 351, 353, 357, 369, 381, 390, 391 e 396.