• banner01
  • banner02

Notícias

O Que Realmente Muda Com A Reforma Trabalhista

O projeto de Reforma Trabalhista proposto pelo governo federal tem causado muitas discussões. Confiram o artigo sobre o que realmente muda com a reforma, assinado pela doutora Priscilla Trevisan, advogada trabalhista e palestrante do escritório Trevisan, Carvalho &Trevisan Sociedade de Advogados, associado CRCVB.

http://migre.me/wBpkX

 

 

Verde e vermelho - e agora, Azul

* Matéria Publicada no Jornal Correio Popular, de Campinas em 23/06/16

Correio Popular 15071 13 baixa

A Azul Linhas Aéreas Brasileiras iniciou ontem os voos entre o Aeroporto Internacional de Viracopos e Lisboa. A primeira partida saiu com 267 passageiros a bordo, com chegada prevista para as 7h de hoje no continente europeu. A expectativa da companhia com a nova investida é ampliar a presença no mercado internacional. Atualmente, a empresa voa para os Estados Unidos e Guiana Francesa - e no próximo mês será a vez do Uruguai.

Para Lisboa, a Azul começou com três frequências semanais, que devem chegar a cinco no próximo dia 7 de julho. Até o mês passado, os voos para Portugal em Viracopos eram realizados pela TAP, que deixou de operar no aeroporto campineiro para, segundo explicou, concentrar suas operações em Cumbica e readequar a malha aérea ao atual cenário brasileiro.

A Azul e a TAP têm o empresário David Neeleman como acionista. As companhias mantêm um acordo de code share e de parceria entre seus programas de fidelidade - o Tudo Azul e o Victoria. 

A empresa brasileira aposta na conectividade oferecida pela portuguesa para ampliar as opções na Europa aos passageiros que saem do País. De acordo com a empresa, a TAP Portugal e a TAP Express oferecem mais de 80 destinos. Na mão contrária, os passageiros europeus poderão chegar a 100 destinos no Brasil.

O presidente da empresa, Antonoaldo Neves, afirmou que a expectativa para o voo é boa, mas que uma nova operação é um investimento que demanda seis meses a umano para dar retorno. “Estamos começando o voo próximo da alta temporada na Europa e ainda é cedo para fazer uma avaliação para os próximos meses”, comentou, ressaltando que é uma boa oportunidade para a companhia entrar no mercado europeu.

As operações para a capital portuguesa serão realizadas em jatos A330 com interior remodelado para oferecer 272 assentos. Os voos terão três classes de serviços: Azul Xtra Business Class, Economy Xtra e Economy. A Azul informou que as tarifas de ida e volta estão disponíveis a partir de dez parcelas de R$ 196,30 (classe econômica e sujeitos a disponibilidade de assentos). Essas passagens devem ser emitidas até o dia 28 e as viagens devem ser realizadas de 2 de julho a 16 de agosto e de 5 de setembro a 15 de dezembro (preferencialmente às terças, quartas e sábados). A empresa informou que os preços divulgados em reais foram calculados pelo câmbio de R$ 3,437 de 20 de junho. Os preços em dólar serão convertidos em real pelo câmbio do dia da compra.

Mercado aberto
O presidente da Azul criticou duramente a medida provisória aprovada na terça-feira pela Câmara dos Deputados que permite a empresas estrangeiras ter controle total do capital de companhias aéreas no Brasil. Atualmente, o limite é de 20%. As aéreas brasileiras defendiam um patamar de 49%. A medida ainda deve passar pelo crivo do Senado.

“O texto original que havia sido debatido previa uma participação de até 49%. Não sabemos qual foi o motivo da mudança. Não há explicação para a alteração. O remédio está errado e vai matar o doente, que são as companhias aéreas nacionais. Em nenhum grande mercado do mundo esse percentual ultrapassa os 50%. Nos Estados Unidos, por exemplo, é de 25%, e na Europa de 49%. O texto é frustrante”, afirmou.

Ele disse que a justificativa utilizada para a nova regra não se sustenta. “O argumento de que as passagens ficariam mais baratas com empresas aéreas mais fortes atuando no mercado doméstico não se sustenta. Avião é um objeto móvel, e uma empresa estrangeira pode entrar no mercado e operar apenas quando as condições forem favoráveis. As companhias brasileiras precisam é de medidas que elevem sua competitividade, como o fim de tarifas que pesam no custo da passagem e a redução de tributos que incidem no combustível”, afirmou.

Neves salientou que a demanda do setor aéreo no Brasil se acomodou depois de sucessivas quedas durante este ano. “Não pretendemos aumentar a frota em curto prazo. Ao contário, estamos procurando compradores para aeronaves que vamos disponibilizar. Ainda há espaço para tirar de três a oito aeronaves de nossas rotas”, comentou (20 aviões já saíram de suas operações desde novembro do ano passado, dos quais 17 foram a TAP e três devolvidos após o fim do contrato de leasing). Mesmo com a diminuição de capacidade, Neves afirmou
que a empresa não promoveu demissões. “Fizemos um programa de licença não remunerada ao qual aderiram 208 tripulantes. Eles vão voltar gradativamente no primeiro semestre
do ano que vem, quando esperamos que a economia já esteja melhor”.

 

 

Campinas reserva área para reforçar vocação

- Matéria publicada no Jornal Correio Popular, de Campinas, do dia 04/02/16

 

A Prefeitura de Campinas vai reservar uma área de 23 milhões de metros quadrados (m2) para abrigar empresas do setor de ciência, tecnologia e inovação em Campinas. A nova área irá mais que tripilicar o espaço existente hoje na cidade, ocupado pelos parques tecnológicos da Unicamp, Techno Park, Polis, CTI-Tec e os polos Ciatec 1 e 2, que somam 9,68 milhões de m2. Técnicos das pastas de desenvolvimento econômico e planejamento estão trabalhando na definição das regras de ocupação dessa área e que serão incluídas no novo Plano Diretor de Campinas. As terras margeiam a Rodovia Adhemar de Barros e ficam entre o Ciatec 2 e o posto do pedágio da rodovia.

O prefeito Jonas Donizette (PSB) disse que o credenciamento pelo governo do Estado dos atuais parques no Sistema Paulista de Parques Tecnológicos (SPTec) e a legislação municipal de incentivos fiscais ampliam a capacidade de Campinas na atração de investimentos empresariais que atuam com ciência, tecnologia e inovação. “Hoje já temos dificuldades em apontar áreas aos empresários dentro dos parques existentes e precisamos ampliar as possibilidades”, afirmou.

Segundo o secretário de Desenvolvimento Econômico, Samuel Rossilho, Campinas já vive pressão por novas áreas. Ele citou o exemplo da empresa de computação em nuvem TechxAct, que anunciou, no mês passado, seu plano de investir R$ 7,1 bilhões em Campinas na implantação de centrais de processamento que armazenarão dados de empresas e governos internacionais, sendo que os primeiros serão de países do Oriente Médio. A empresa busca uma área de 5 milhões de m2, inexistente nos atuais parques e polos de tecnologia da cidade.

O Ciatec 2 já está se esgotando — dos 8 milhões de m2, 3 milhões estão ocupados com 36 empresas. Dos 4 milhões restantes, a maior parte, 3 milhões, são áreas de preservação permanente (APP) e áreas verdes, que não podem ser utilizadas. A nova área será uma extensão do Ciatec 2 que passará, então, a ocupar 31 milhões de m2. As terras são de vários proprietários e a função da Prefeitura será a de definir o zoneamento e parcelamento das glebas e facilitar a negociação de compra e venda entre empresas e os donos.

A definição por aquelas terras, explicou Rossilho, levou em consideração a facilidade de fornecimento de energia e possibilidade de fornecimento de água de reúso (duas das preocupações dos setores que atuam com datacenter), além de conexão com gás e principalmente por estar próxima a universidades e institutos de pesquisa.

“As áreas de pesquisa, desenvolvimento e inovação são as vocações de Campinas, estão no DNA da cidade e não podemos perder de vista esse horizonte”, disse Jonas. Segundo o prefeito, a legislação de Campinas é uma das melhores do País para atração de investimentos — no ano passado, a Administração reduziu a alíquota do Imposto Sobre Serviços (ISS) de 5% para 2% e deu isenção de IPTU para empresas de base tecnológica de várias áreas, incluindo as startups, que são empresas nascentes que possuem projetos inovadores, e a empresas consolidadas, inclusive as 1,2 mil que já estão instaladas na cidade.

Campinas, conforme levantamento da Fundação Seade divulgado na edição de ontem do Correio, foi o destino de 81,5% dos investimentos em pesquisa, desenvolvimento e inovação anunciados em 2014. A cidade ficou com US$ 517,8 milhões (R$ 2,06 bilhões) dos US$ 635,2 milhões destinados ao Estado, um crescimento quase quatro vezes maior em relação a 2013, quando a RMC ficou com US$ 142,7 milhões. “Precisamos garantir áreas para esses e outros investimentos que virão”, afirmou o prefeito.

 

Correio Popular 04 02 red

Estádio da Ponte abriga festival de food trucks

* Notícia extraída do Jornal Correio Popular, de Campinas, de 22 de janeiro de 2016

 

Campinas sediará neste fim de semana o maior festival de comida de rua já realizado em um estádio de futebol, o 1º Food Truck Festival Ponte Preta. Com o apoio do CRCVB (Campinas e Região Convention & Visitors Bureau), o evento reunirá mais de 20 food trucks no Estádio Moisés Lucarelli e contará ainda com atrações como shows musicais, sorteio de brindes e espaço kids, tornando-se uma excelente opção de passeio para as famílias.

Os visitantes poderão apreciar os mais diversos estilos gastronômicos, com Amore Churros, Antonello Food Bike, Batata Legal, Caixote das Confissões, Clássicos Hot Dog, Cup N’Cakes, Don Cevada Truck, Imperador Cartola, La Cubanita, La Mia Pasta, Mama Korina, Molho Caseiro Food Truck, Mr. Batata – Batata Recheada, Porquetta Grill & Co., Sabor de Paris, Tasty Food Truck, Tutti Cone, Yes Pizza!, Vivi Goés Food Bike, Winebar e Yes Coxiña Food Truck, todos associados ao CRCVB. Além das operações de Campinas e região, estarão presentes os famosos Buzina Food Truck e Holly Pasta, de São Paulo, comandados respectivamente por Marcio Silva e Adolpho Schaefer, bastante conhecidos do público por apresentarem o programa de TV Food Truck – A Batalha, no canal GNT.


O festival funcionará no sábado das 11h às 22h e no domingo das 10h às 17h. A entrada é franca, mas os organizadores sugerem a doação opcional de 1kg de alimento não perecível (exceto sal e açúcar) por pessoa, a ser doado para entidades assistenciais. “Estamos muito felizes em colaborar com esse que promete ser o primeiro grande evento de comida de rua de 2016 em Campinas. Aguardem que a programação do ano está apenas começando”, afirma Luciano Antonello, diretor de food trucks do CRCVB. (AAN)

Correio Popular food truck 22 01 corte

Viracopos bate recorde de passageiros em 2015

* Matéria extraída do Jornal Correio Popular, de Campinas/SP, de 08/01/2016

O Aeroporto Internacional de Viracopos bateu em 2015 o recorde histórico de passageiros: 10,32 milhões de pessoas. O crescimento no volume de pessoas transportadas foi de 4,85% em relação aos 9,84 milhões registrados em 2014. A elevação dos passageiros em voos internacionais alavancou o desempenho de Viracopos no ano passado. A quantidade cresceu 524,75%, subindo de 103.421 viajantes no ano anterior para 646.125 passageiros em 2015.

A maior oferta de voos para outros países e as promoções de tarifas realizadas pelas companhias aéreas para estimular o movimento, diante de uma cotação galopante do dólar no ano passado, explicam o crescimento dos passageiros internacionais no terminal. Mas o cenário econômico também afetou as operações para o Exterior. As companhias Copa Airlines e Gol acabaram com voos para destinos como Cidade do Panamá e Miami. A American Airlines encerrou o voo para Nova York e no próximo mês para de operar para Miami. Apenas a Azul Linhas Aéreas Brasileiras e a TAP vão manter os voos para outros países, respectivamente para Estados Unidos e Portugal.

O diretor-presidente da Aeroportos Brasil Viracopos, Gustavo Müssnich, comemorou o resultado de 2015 e afirmou que há boas perspectivas para este ano, mesmo com o cenário desafiador da economia nacional. “Romper a marca de 10 milhões de passageiros foi importante para Viracopos. A expectativa é que o aeroporto volte a figurar como o sexto em movimentação de passageiros no País”, comentou. Ele disse que o crescimento no volume de embarques e desembarques de quase 5% é relevante diante de um quadro de recessão da economia nacional.

Embora esteja otimista, o diretor-presidente acredita que o crescimento orgânico de passageiros e voos não seja tão acentuado neste ano quanto em 2015. Ele aposta na possibilidade de novas oportunidades de operações estimularem a demanda. Müssnich lembrou que a Azul Linhas Aéreas Brasileiras, que tem Viracopos como principal hub (centro de distribuição de voos) no País, firmou importantes parcerias no ano passado com empresas como a United Airlines e o grupo chinês HNA Group (que tem 14 companhias aéreas e uma frota de 528 aeronaves). “Os negócios podem gerar novas oportunidades para Viracopos”, ressaltou.

O diretor-presidente salientou ainda que o empresário David Neeleman, que é fundador da Azul, venceu a privatização da companhia TAP por meio do consórcio Atlantic Gateway, em que é sócio do empresário português Humberto Pedrosa. “O fato também pode resultar em novas possibilidades de aumento de voos para a Europa em Viracopos”, comentou. O executivo observou que há negociações em andamento para voos regulares que irão atender destinos na América do Sul. A Azul já está realizando voos para Punta del Este, no Uruguai, durante a alta temporada.

Novo Terminal
Müssnich afirmou que é preciso desmistificar o andamento das obras do novo terminal de passageiros de Viracopos e os termos do contrato assinado com o governo que estabeleceu as obrigações do consórcio que venceu a concessão de Viracopos. Ele disse que em março o terminal, onde hoje são atendidos os voos internacionais no Píer A, terá condições de operar todos os voos domésticos que saem atualmente do terminal antigo.

“As operações domésticas vão operar no Píer C, que terá 15 gates (portões) para atender a demanda atual do aeroporto. No terminal onde estão hoje, há 13 gates. Estamos aumentando em dois portões”, afirmou. O diretor-presidente comentou que o espaço está em fase de acabamento para a transferência das companhias aéreas com voos nacionais para o local. A previsão é que a mudança ocorra em março. Com a entrada em operação do Píer B, a capacidade de Viracopos sobe para 14 milhões de passageiros. Também estarão à disposição das empresas a área remota, na qual o embarque é feito a pé ou em ônibus. 

Müssnich explicou que a obra completa do terminal não será finalizada agora porque os trabalhos serão efetuados conforme o aumento da demanda. “O contrato prevê 28 fingers (pontes de embarque), que elevaria a capacidade do aeroporto para 25 milhões de passageiros. Mas, atualmente, não existe essa demanda. Não há porquê colocarmos em funcionamento neste momento o Píer B gerando um custo adicional sem que existam operações no local”, comentou.

Ele ressaltou que o fato acarreta em um não cumprimento do contrato, mas que a situação será discutida com a Anac. A agência já aplicou uma multa, que está sendo contestada pela Aeroportos Brasil Viracopos, pelo descumprimento da entrega do novo terminal, que deveria ter ocorrido em maio de 2014. “Ainda não existe umparecer da agência sobre a nossa contestação”, informou o executivo. Müssnich garantiu que as obras no Píer B continuarão sendo executadas. “O espaço está pronto em termos de obra pesada. Faltam acabamento, forros, luminárias, equipamentos de telecom”, apontou.


O executivo destacou que os três pátios de aeronaves já estão prontos e oferecem 70 posições. “Antes, tínhamos 35 posições. Nós dobramos a capacidade”, disse. Ele comentou que neste ano será iniciado o novo pátio para os aviões ATRs e que toda a interligação do pátio de abastecimento também será executada. “Com a medida, vamos acabar com o trânsito de caminhões pelo pátio de aeronaves”, afirmou.

 

Azul é a 1ª em pontualidade no mundo em sua categoria

A Azul Linhas Aéreas Brasileiras foi considerada em levantamento da Official Airline Guide (OAG), instituição independente para monitoramento de pontualidade do mundo, como a companhia aérea mais pontual do mundo em 2015 na categoria low-cost (de baixo custo). A empresa atingiu o índice de pontualidade de 91,03% de voos cumpridos sem atrasos no ano passado. A avaliação leva em conta pousos e decolagens dentro de até 15 minutos do horário previsto. No ranking geral que compara os dados de todas as categorias, a empresa obteve o terceiro melhor resultado em pontualidade, de acordo com nota da aérea.

A empresa vai aumentar a quantidade de voos para atender a demanda do Carnaval. De acordo com a companhia, serão acrescidos cerca de 50 mil assentos complementares, que equivalem a um número superior a 650 frequências adicionais. As operações terão início em 31 de janeiro e vão até 25 de março. A empresa espera por uma movimentação mais intensa entre os dias 5 e 10 de fevereiro. A festa de Momo começa em 6 de fevereiro e se estende até o dia 9 (Terça-Feira de Carnaval). Segundo a Azul, os aeroportos de Viracopos e Confins (Belo Horizonte) vão concentrar a maioria dos voos extras. Conforme a companhia, a partir dos dois terminais são atendidos pelo menos 80 destinos no Brasil e no Exterior, com mais de 200 ligações regulares diárias. Parte dos voos já tem autorização da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e outra parcela está em análise pelo órgão. Conforme a empresa, a lista de destinos com operações extras contemplam: Campinas, Belo Horizonte (Confins e Pampulha), Rio de Janeiro (Santos Dumont e Galeão), São Paulo (Guarulhos e Congonhas), Cabo Frio, Porto Seguro, Salvador, Fortaleza, Carajás, Feira de Santana, Governador Valadares, Maceió, Natal, Teixeira de Freitas, Ilhéus, Recife, Uberlândia, Vitória, Cuiabá, Campo Grande, Divinópolis, Florianópolis, Foz do Iguaçu, Bauru, Marília, Navegantes, Porto Alegre, Rio Verde, Brasília, Fernando de Noronha, Goiânia, Sinop, São José do Rio Preto, Aracaju, Pelotas, Punta del Este, Caiena, Araxá, Marabá, Belém, Altamira, Bonito, Porto Velho, Caldas Novas, Patos de Minas, Londrina, Parnaíba, Juazeiro do Norte, Manaus, Petrolina, São Luís, João Pessoa, Corumbá, Lençóis, Curitiba e Teresina. (AL/AAN)

Correio Popular Viracopos 08 01 baixa